Estudar conectado a mídias sociais pode gerar queda de até 20% no rendimento escolar, aponta estudo feito pelo pesquisador holandês Paul Kirschner, da Open University.

“O problema é que muitas pessoas permanecem conectadas enquanto executam a tarefa de estudar. Apesar de o jovem moderno ser moldado pela era digital e estar adaptado a processar simultaneamente multitarefas, é preciso ter tempo para aprender uma tarefa de cada vez. Executar duas coisas ao mesmo tempo aumenta as chances de cometer erros no processamento de informação”, comenta Kirschner ao Correio. A pesquisa foi feita a partir de entrevistas com 219 estudantes holandeses, sendo que alguns tinham o hábito de estudar conectados às mídias sociais, enquanto outros, não.

Depois de analisar as respostas que os participantes deram a perguntas baseadas em sua vida curricular, o especialista concluiu que os estudantes adeptos da mania multitarefal apresentaram, em uma escala de um a quatro, nota média de 3,06. Já os que estudavam focados apenas nos livros tiveram desempenho 20% maior, obtendo média 3,7. “Com a pesquisa, conclui-se o prejuízo dessa união.

Estar conectado enquanto se estuda não é favorável ao bom andamento do rendimento escolar”, afirma o holandês. A especialista em psicologia da educação Carmem Tacca ressalta que há adolescentes que conseguem desenvolver o hábito de fazer várias atividades ao mesmo tempo sem prejuízos, mas alerta: não é todo mundo que consegue. “Estudar conectado à internet é uma coisa absolutamente possível. As crianças e adolescentes estão desenvolvendo novas competências e tornou-se comum fazer várias atividades ao mesmo tempo. Mas é preciso averiguar se a pessoa tem condições para fazer isso, pois depende do perfil de cada um”, aconselha.

Fonte: Correio Braziliense

Anexos